sexta-feira, 13 de março de 2009

ENTREVISTAS SOBRE OS JOGOS E BRINCADEIRA EM SALA DE AULA COM PROFESSORES DA ESCOLA VALDENI BATISTA DOS SANTOS CARDOZO. IPANEMA, AMERICA DOURADA

1 – O que você acha de ensinar as disciplinas curriculares aos alunos através de jogos e brincadeiras?
R: As crianças podem utilizar várias linguagens para resolver os mais diversos problemas, sejam eles envolvendo situações matemáticas ou não. Pois, mesmo antes de adquirirem a escrita, as crianças se comunicam através de desenhos, brincadeiras, gestos e outras formas de expressão. Não saber ler e escrever não é sinônimo de incapacidade para ouvir e pensar..
A ludicidade pode estimular a construção de conceitos matemáticos (noções de mais, menos, maior, menor, igual, diferente, inclusão, medidas, peso, dentre outros) que podem favorecer o surgimento de estruturas operatórias, tais como: classificação, seriação e demais operações”. Por isso, o trabalho com matemática na escola infantil não pode ser espontaneísta e casual. A escola precisa encarar o ensino da matemática na educação infantil com o mesmo grau de importância que qualquer outra área do conhecimento. Aprender matemática, assim como aprender a ler e escrever, é um processo que se estende por toda vida do sujeito.
A prática educativa torna-se mais eficaz quando o professor é o agente mediador e a criança um sujeito participativo do processo de ensino/aprendizagem. Por isso, eu enquanto professor, utilizaria em sala de aula o jogo e a brincadeira, não como meros passatempos, mas como instrumentos de construção da aprendizagem e de desenvolvimento da criança, utilizando da intervenção adequada para que os jogos e brincadeiras, além de proporcionarem alegria e diversão sejam vias da aprendizagem.

Professor: Francisco Ferreira
Turma: 5º ano do ensino fundamental

R: Percebe-se que é uma forma das crianças expressarem seus sentimentos e aprendizado muito mais divertido com mais interesse. Sendo assim, o professor conseguirá expor seus conteúdos e alcançar seus objetivos.

PROFESSORA: Juliana
Turma: Grupo 4 da educação infantil

R: Trabalhar o lúdico é muito importante para o desenvolvimento intelectual além de promover a socialização entre os alunos, os jogos e as brincadeiras despertam o interesse das crianças por fazer parte do seu universo, contribuindo para que a aprendizagem aconteça de uma forma divertida.

Professora: Fabiana Freitas
Turma: 4º ano do ensino fundamental

R: Bastante pertinente, pois, possibilita que o processo de ensino e aprendizagem ocorra de forma prazerosa. As atividades em educação devem possibilitar que os conteúdos sejam apresentados de uma forma lúdica,o aluno aprende brincando ,como por exemplo na disciplina matemática,os jogos numéricos favorece,dentre outras coisas, a criança fazer o uso dos números ,amplia suas representações e os familiariza mais com a matéria.

Professora: Marlice Dourado
Turma: Grupo 5 da educação infantil

R: A brincadeira é muito importante para o desenvolvimento da criança. Ela promove a socialização e o desenvolvimento intelectual, afetivo, social dos pequenos.

Quanto à questão de brincadeiras para ensinar conteúdos é uma forma atraente, divertida que permite envolver as crianças de maneira que aprendam brincando. No entanto, é preciso ver o cuidado para que a brincadeira não seja utilizada apenas com a finalidade de ensinar as disciplinas e perder seu caráter lúdico.

Professora: Ionéia Ferreira
Turma: 6º ao 9º ano do ensino fundamental

R: O ensinar faz parte do brincar, os jogos além do envolvimento dos mesmos por parte de grupos ou até mesmo por si torna um aprendizado novo , algo descoberto.Através dos jogos e brincadeiras os alunos muitas das vezes revelam sua própria imagem e criatividade.

Professora: Josinete Arruda
Turma: 3º ano do ensino fundamental

R: Não a aprendizado sem movimento a aprendizagem, abre o caminho da vida, do mundo, das possibilidades de ser feliz
Quando consideramos o jogo e a brincadeira como instrumentos de ensino, também é possível classificá-los em dois grandes blocos: o jogo e a brincadeira desencadeadores de aprendizagem e o jogo e a brincadeira de aplicação. Quem vai diferenciar esses dois tipos de jogos e brincadeiras não é o brinquedo ou brincadeira, não é o jogo, nas sim a forma como eles serão utilizados em sala de aula. Na verdade, acredito que é a postura do professor, a dinâmica criada e o objetivo estabelecido para determinado jogo que serão colocados em classificação.

Professora: Hagar Araújo
Turma: EJA (educação de jovens e adultos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário